O Projeto:
Quando um faraó morria no Antigo Egito, ele era honrado com festas, músicas e a leitura do Livro dos Mortos, entregando sua alma ao deus Anúbis. Isso acontecia por conta de ser um ritual de passagem, onde acreditavam que a vida e o reinado continuaria em outro plano.
Após o ritual, os faraós eram levados para suas tumbas e enterrados com os pertences mais valiosos de sua jornada pela terra, como jóias, itens de decoração, tronos e até mesmo comidas.
A criação do projeto Sibuna teve como base remeter ao ritual de saborear a vida com o que há de supremo, buscando sempre as melhores combinações e experiências.
Por conta disso, os dois sócios criadores do projeto resolveram ressuscitar uma receita que era muito popular no menu dos antigos faraós e na cultura egípcia,: o Vinho misturado com mel e suco de tâmaras. 
Símbolo:
O símbolo teve como base a representação minimalista de Anúbis, o deus egípcio com cabeça de chacal que era protetor, guardião e guia dos mortos, também associado diretamente a mumificação. 
A escolha de representar Anúbis se deu pelo fato de estar ligado ao ritual aplicado aos faraós quando levados para suas tumbas. 
Tipografia:
A tipografia escolhida teve como objetivo trazer uma boa compreensão e sugerir ao público a leitura do nome de trás pra frente.
Cores:
As cores escolhidas para o projeto trazem tons sofisticados, fazendo uma ligação direta ao Egito e sua cultura, criando uma sensação de uma bebida noturna e proibida.

Hieróglifos
Bebida
Estátua de Anúbis
Deserto
Egito
Back to Top